• Denuncie a corrupção
  • portal da transparência
  • fale com o ouvidor
  • Associação dos Amigos do Arquivo Público do Paraná
  • Parceria
  • Memórias Relevadas
  • Arquivo Nacional
  • Brasil - Um país de todos
  • Lei de Incentivo à Cultura - Ministério da Cultura

EXPOSIÇÃO - CECÍLIA MARIA WESTPHALEN

CECÍLIA MARIA WESTPHALEN
SUA OBRA, SUA HERANÇA


[...seu maior patrimônio intelectual
foi demarcar um território de historiador não
empírico, mas, sim científico e metodológico,
regado pelo rigor e fidelidade às fontes e pela
riqueza das técnicas de pesquisa. Deste território
emergiu a sua produção, cujo legado é digno de uma
grande historiadora.] Carlos Roberto Antunes dos Santos
Professor Titular do Depto. de História/UFPR

BIOGRAFIA

A paranaense Ceci, como era chamada na infância, nasceu na Lapa, no dia 27 de abril de 1927, filha de Pylades Westphalen e Palmira de Souza Westphalen.

Aos 20 anos de idade, graduou-se em Estudos Clássicos, também cursado na capital, no Colégio Estadual do Paraná e, em 1950, recebia o seu primeiro diploma universitário, como bacharel e licenciada em Geografia e História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal do Paraná, onde também graduou-se bacharel em Direito, em 1952.

Recém-formada em Geografia e História, em 1951 prestou concurso público de títulos e provas para professora da cadeira de Estudos Brasileiros e Paranaenses, do Instituto de Educação do Paraná, tendo sido aprovada com nota máxima. No mesmo ano, também com nota máxima de aprovação, prestou concurso público para professora da cadeira de História, do Colégio Estadual do Paraná. Era o início de uma profíciente carreira no magistério, que culminou com sua titulação de Doutora, Docente-Livre e Professora Catedrática na Universidade Federal do Paraná, após concurso público para a cátedra de História Moderna e Contemporânea, em 1957, atingindo 9,75 como nota de aprovação.

Entre 1958 e 1959 cursou pós-graduação na Faculdade de Filosofia da Universidade de Colônia, na então Alemanha Oriental, e na 6ª Sessão da École Pratique des Hautes Études, em Paris, especializando-se em História Moderna e Contemporânea.

A professora Cecília Maria Westphalen e a Universidade Federal do Paraná têm uma longa história comum, pois esta instituição foi seu espaço privilegiado de atuação profissional, como professora e pesquisadora e, por outro lado, cresceu e se fortaleceu em virtude das suas ações administrativas desenvolvidas, desde 1951 como diretora do Departamento de Cultura da Reitoria, até o início da década de 1980, como coordenadora de pesquisa da Universidade.

PRODUÇÃO ACADÊMICA

Em mais de três décadas dedicadas ao ensino e pesquisa na UFPR, Cecília Maria Westphalen promoveu ações fundamentais para a consolidação da historiografia paranaense no cenário nacional, fortalecendo e profissionalizando os estudos de história regional.

Publicou 252 trabalhos, no Brasil e no exterior, destacando-se, dentre eles, o compêndio didático Pequena História do Paraná, cuja primeira edição, em 1953, coincidiu com as comemorações do centenário da emancipação do Paraná, e Carlos Quinto, 1500/1558; seu império universal, de 1955, tese apresentada ao concurso público de História Moderna e Contemporânea prestado na UFPR em 1951. Segundo a autora, o século XVI constitui a base de todo processo histórico do mundo moderno, como também a chave para a compreensão deste século se encontra no Império de Carlos V. Tal a razão que me levou a enfrentar o assunto deste livro, sobretudo porque ninguém ainda, em nosso País, o havia feito. Esta falta e a boa-vontade em supri-la foram as responsáveis pela amplitude do tema cujo fascínio não pude fugir.


A PROFESSORA CECÍLIA E AS FONTES DOCUMENTAIS

Destaca-se, em suas ações profissionais, a luta pela preservação e divulgação das fontes primárias paranaenses. Um dos projetos mais audaciosos e que marcou época foi o projeto por ela coordenado, como professora e chefe do Departamento de História da UFPR, denominado Levantamento e Arrolamento de Arquivos, desenvolvido no final da década de 1960 e que resultou na publicação de uma série de boletins com o resultado das investigações das equipes dos professores departamentais e graduandos junto aos diversos arquivos regionais (paranaenses), públicos e privados localizados em todo o Estado do Paraná.

Em várias oportunidades, a professora Cecília denunciou o descuido generalizado com os acervos documentais no Brasil, bem como atuou de forma decisiva nessa área ao divulgar, em escritos e palestras, a importância de arquivos organizados e acessíveis e a formação de pesquisadores como usuários conscientes e éticos. Assim, vivenciou as práticas da arquivística ao se aproximar desses profissionais.


Pesquisa, texto e montagem - Tatiana Dantas Marchette e Márcia Doré
Fotos: Gustavo Junqueira

Recomendar esta página via e-mail: